Ômega 3 e Covid-19: Será que o consumo de Ômega 3 possui realmente algum poder de combate aos sintomas da covid-19?

Há mais de um ano vivemos o pesadelo da Pandemia do novo Coronavírus. E com a pandemia, diversas “fórmulas” de evitar complicações da Covid-19 surgiram. Uma delas foi que, a ingestão de ômega 3 ajudaria no combate aos sintomas da Covid-19.

Me diz o que você acha: Fake ou Fato?

O Coronavírus e a Covid-19:

Primeiramente, precisamos falar um pouco sobre o coronavírus e a síndrome respiratória aguda causada por ele: a Covid-19. 

O coronavírus conhecido como SARS-CoV-2 é o causador da doença Covid-19. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), até o momento em que este artigo foi escrito, mais de 130 Milhões de pessoas já foram infectadas pelo SARS-CoV-2 ao redor do mundo e, dos infectados, aproximadamente 2,8 milhões não resistiu à gravidade da doença e veio a óbito. 

A Covid-19 é uma doença respiratória aguda de base principalmente inflamatória (essa informação é de grande importância para quando começarmos a falar da sua relação com o ômega 3). Assim, seu espectro de sintomas gerados nos infectados é grande, e pode variar de nenhum sintoma a sintomas graves. Entre estes sintomas, os mais conhecidos são: febre, tosse seca, falta de ar, anosmia (perda parcial ou total do olfato) assim como anormalidades gastrointestinais, entre outros. 

A princípio, as complicações mais graves da Covid-19 são, em grande parte, ocorrem devido à sobrecarga do sistema imunológico do hospedeiro, levando a um evento conhecido como “Tempestade de Citocinas”, que são substâncias produzidas pelo sistema imunológico no combate às infecções. Como resultado, diversos episódios graves podem se desenvolver, como problemas no sistema de coagulação intravascular, síndrome do desconforto respiratório agudo, a disfunção em múltiplos órgãos e, por consequência, a morte do hospedeiro.

Esforços voltados à prevenção:

Devido à natureza extremamente infecciosa do vírus bem como sua taxa de mortalidade, o mundo todo se uniu em busca de possíveis soluções, sejam elas preventivas ou reativas. Portanto, novos medicamentos estão sendo pesquisados, e os antigos sendo testados a fim  de amenizar o sofrimento dos pacientes com Covid-19, incluindo a desregulação imunológica que citamos acima.

Poucos sabem, mas nosso organismo vive uma luta constante no seu sistema imunológico em busca da homeostase, ou seja, o equilíbrio de suas funções. Isso acontece pois muitas situações que vivemos diariamente são consideradas pró-inflamatórias ao nosso organismo. Ou seja, são causadoras de inflamações constantes. E são diversas as origens destas inflamações, como alguns tipos de alimentos, o tabagismo e doenças crônicas.

Por exemplo, alimentos ultraprocessados, e que possuem níveis altos de açúcar ou gorduras de má qualidade, geram inflamações em nosso organismo. Para os exemplos de doenças crônicas pró-inflamatórias, podemos citar o Diabetes mellitus e doenças autoimunes.

O Ômega 3 e seus ácidos graxos

No entanto, não é só de notícias ruins que nós vivemos, não é mesmo?! Da mesma forma que existem alimentos pró-inflamatórios, há também os que modulam o sistema imunológico, ou seja, geram equilíbrio e fazem com que funcione da melhor forma possível,  e diminuindo sua agressividade em nosso organismo. 

Os ácidos graxos presentes no Ômega 3 são ótimos exemplos de alimentos anti-inflamatórios e, sendo assim, vamos falar um pouco deles agora.

Primeiramente, para simplificar, sempre que eu usar o termo “ácido graxo”, entenda como um tipo de gordura. Termos científicos são super válidos, mas algumas vezes podem atrapalhar a nossa compreensão.

O Ômega 3 possui ácidos graxos essenciais à saúde humana (Sim, são fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo, e daqui a pouco você vai entender o que me levou a frisar esta informação). E como nosso corpo não é capaz de produzi-los, são estritamente obtidos através da alimentação. 

Os ácidos graxos mais estudados e com maior valor biológico são:

  • DHA – Ácido Decosahexaenóico;
  • EPA – Ácido Eicosapentoenóico.

(Eu sei, eu sei. Nomes difíceis, né? Se acalme pois vamos usar somente DHA e EPA a partir de agora)

Os ácidos graxos possuem uma enorme função estrutural em nosso organismo, já que fazem parte da membrana que envolve todas as células do nosso corpo (Essencial, lembra?). 

Além disso, também são ótimas fontes de energia, atuam na sinalização celular e na produção de hormônios. Por isso é tão importante mantermos uma dieta equilibrada e com gorduras de boa qualidade.

Alguns dos benefícios do Ômega 3

Diversos benefícios são ligados ao consumo do Ômega 3, e vou listar alguns abaixo de forma bem simples:

  • Os ácidos graxos DHA e EPA possuem função na formação e desenvolvimento do cérebro e da retina. Ou seja, promovem a saúde geral destes órgãos e, consequentemente, geram melhorias na memória, no foco e em outras funções cognitivas;
  • Reduz os níveis de triglicerídios  no sangue;
  • Previne doenças cardiovasculares pois atua diretamente na diminuição de substâncias oxidativas nas células dos vasos sanguíneos;
  • Na prática de atividades físicas, o Ômega 3 diminui os efeitos pós treino e facilita a recuperação muscular. Além disso, ajuda na obtenção de massa magra, aumento da força e potência muscular e acelera a redução de gordura em indivíduos obesos;
  • Controle dos níveis de colesterol total, assim como a diminuição do colesterol LDL (o colesterol “ruim”). O ômega-3 também promove o aumento do colesterol HDL (colesterol “bom”);
  • O Ômega 3 é um imunomodulador, ou seja, ele possui papel importante na produção de diferentes mediadores inflamatórios, como prostaglandinas, leucotrienos e outros.

Caso queira conhecer mais sobre o Ômega 3 e seus benefícios, clique aqui. Fizemos um artigo falando somente sobre isso no blog.

O Ômega 3 e o Sistema Imunológico:

Como é um importante imunomodulador, o Ômega 3 ajuda a controlar a produção de diversas substâncias envolvidas no processo de inflamação. E já que essa é a parte que mais importa pra gente agora, vou ser um pouco mais detalhista.

Mediador

Anteriormente, citamos a ação do Ômega 3 na regulação da produção de prostaglandinas e leucotrienos, certo? Essas substâncias são de extrema importância no processo inflamatório pois são elas ajudam a definir o grau de inflamação gerado durante um processo infeccioso.

Membrana das Células

Mas além disso, os ácidos graxos presentes no ômega 3 também têm papel crucial em outra etapa. Eles regulam funções nas membranas das células do hospedeiro, como sua fluidez e seus mecanismos de entrada e saída. 

Por exemplo, os ácidos graxos podem se incorporar na membrana de neutrófilos (células de defesa) e controlar os mediadores produzidos e causar menos inflamação durante o processo.

Células de Defesa

Eles também melhoram a função dos Macrófagos (outro tipo de célula de defesa), aumentando sua capacidade de englobar corpos estranhos ao nosso organismo (incluindo microrganismos) e, assim, também diminuir o processo inflamatório.

Antiviral

Além disso, o Ômega 3 também aumenta a resposta antiviral do nosso organismo. Ele faz isso induzindo uma substância chamada IFN (Interferon), que possui como função a diminuição da replicação viral.

Regulador de Citocinas

Os ácidos graxos também possuem a capacidade de regular a resposta antiviral das células T CD8, que são um tipo específico de linfócito. Eles agem modulando as respostas de citocinas a invasores virais. 

Essa informação é crucial para a nossa conclusão. Então, eu pergunto a vocês novamente:

Ômega 3 e Covid-19:  Existem benefícios no consumo de Ômega 3 para combater sintomas da Covid-19?

Pílula de Ômega 3 e o vírus da covid-19 sendo ilustrados.

É um FATO. O Ômega 3 ajuda sim no combate aos sintomas da Covid-19.

Em resumo, os ácidos graxos DHA e EPA, presentes no Ômega 3, atuam na diminuição de processos inflamatórios, na melhoria das respostas antivirais e no controle da produção de citocinas durante um processo infeccioso viral. 

São fatos, e todos foram retirados de estudos científicos. Vou deixar as fontes nas referências ao final do artigo.

Abaixo segue uma citação retirada da conclusão do artigo mais recente que consultei, chamado “Omega 3 Fatty Acids and COVID-19: A Comprehensive Review”. 

“Uma das principais causas de morte em pacientes infectados com a síndrome respiratória aguda grave coronavírus-2 (SARS-CoV-2) é a insuficiência de múltiplos órgãos, que é o resultado da sobrecarga do sistema imunológico causando a “Tempestades de Citocinas”. O ômega-3 FA é conhecido por promover menor produção de citocinas pró-inflamatórias, portanto, aumentar a ingestão de ômega-3 na dieta ou suplementação pode diminuir a entrada viral, promover uma melhor função imunológica e diminuir a gravidade entre aqueles que foram diagnosticados com COVID-19.”

IMPORTANTE:

A intenção deste artigo não é promover uma CURA para a Covid-19. Não existe cura comprovada, e o Ômega 3 certamente não possui esse papel. 

No entanto, ele possui sim diversos benefícios contra os sintomas da Covid-19 e para saúde geral, baixo custo e pode ser encontrado em diversos alimentos e suplementos alimentares. Nossa intenção aqui é divulgar informações importantes e ajudá-los no conhecimento geral. Se um alimento possui tantos benefícios preventivos, acho que todos devem ter acesso a essa informação.

Por fim, se manter saudável, cuidar da alimentação e praticar exercícios físicos regularmente continua sendo a melhor receita para a longevidade. Por isso, cuidem-se! 

As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e, portanto, não devem substituir orientações de profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Sendo assim, procure sempre o aconselhamento do seu médico ou nutricionista com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura de ajuda por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da MAKAI®.

Referências Bibliográficas:

  1. Omega 3 Fatty Acids and COVID-19: A Comprehensive Review;
  2. SanGiovanni JP, Chew EY. The role of omega-3 long chain polyunsaturated fatty acids in health and disease of the retina. Progr Retin Eye Res. 2005; 24(1):87-138.
  3. Chen Y, Hougton LA, Brenna JT, Noy N. Docosahexaenoic acid modulates the interactions of the interphotoreceptor retinoid-binding protein with 11-cis-tetinal. J Biol Chem. 1996; 271(34): 20507-15.
  4. Simonian NA, Coyle JT. Oxidative stress in neurodegenerative diseases. Ann Rev Pharmacol Toxicol. 1996; 36(1):83-106.
  5. Fornazzari e colaboradores. Ácido graxo ômega e a saúde humana.2007
  6. Wilmore, J. H., & Costill, D. L. (1999). Obesity, Diabetes and Physical Activity. Physiology of Sport and Exercise (2ª Ed.). Human Kinetics, Champaing, Illinois.
  7. Fett, C. A., & Fett, W. C. R. (2003). Correlação de parâmetros antropométricos e hormonais ao desenvolvimento da hipertrofia e força muscular. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 11(4), 27-32. 
  8. Fett, C. A., Maestá, N., & Burini, R. C. (2002). Alterações metabólicas, na força e massa musculares, induzidas por um protocolo de musculação em atletas sem e com a suplementação de Omega-3 (W-3) ou triglicérides de cadeia média (TCM). Fitness & Performance Journal, 1(4), 28-35. doi: 10.3900/fpj.1.4.28.p  
  9. Fett, C. A. (2001). Composição corporal, ganho de força e resposta à exaustão, no treinamento hipertrófico, em presença da suplementação com ácidos graxos w-3 ou triglicerídios de cadeia média (Dissertação de Mestrado em Biodinâmica Humana). Universidade do Estado de São Paulo.
  10. Huang, T., Tarp, J., Thorsen, A. K., Froberg, K., Andersen, L. B., & Bugge, A. (2015). Associations Of Adiposity And Aerobic Fitness With Executive Function and Math Performance in Danish Adolescents. Journal of Pediatrics, 167(4), 810-5. doi: 10.1016/j.jpeds.2015.07.009
(Visited 195 times, 1 visits today)